Costa de Souza

Caricatura | Ilustração

Adormecida

7 Comentários

 

A ilha e o frio na barriga seguiam pela minha cabeça viagem adentro quando ela se deitou no meu peito. Protegida de mim pelo banco do ônibus. A noite avisava que ia ficar mais complicado chegar sozinho à cidade desconhecida. Pior: seria mais difícil ver o rosto dela. Melhor esticar o pescoço agora.

Ela dorme.

A ilha e o medo, o segredo nos bicos dos seios, a aventura de olhar a musa enquanto as amigas dela seguiam acordadas. Miro a lanterninha do teto do meu banco em direção aos olhos dela.

Ainda dorme, e eu mais vejo. Volto. Torno a subir e nem sei mais qual Floripa passa agora. Só sei o seio o seio o seio.

Acordam-se. Garopaba já e eu sentado de volta. Levantam-se mais peitos e fios loiros pra se mostrarem tão perdidos quanto eu.

Uma delas fala com o motorista baixinho. Só ouço:

– Ah, mas qualquer coisa vocês não vão ter problema pra arranjar carona!

O carnaval estava só começando, e o dinheiro pro carro nunca mais fará falta.

Autor: Costa de Souza

Artista gráfico. Caricaturas e ilustrações.

7 pensamentos sobre “Adormecida

  1. texto bem escrito… com olhar de observador… vc que fez o desenho? achei lindo…
    bjooo

  2. Uma curiosidade…
    Você primeiro escreve o texto, a enredo no caso e depois faz o desenho… ou você primeiro faz o desenho e depois se inspira nele para escrever a história ou a crônica?

    =P

    Beijos!

  3. Já retribuindo a visita e lendo o Blog.
    Adicionei no feed.

    Belo artigo, Daniel.

    Abraço.

  4. Muito bom! Por essas e outras socializações, o ônibus é sempre uma boa pedida.

  5. Se vc fosse pra Lages no ônibus q

  6. Ai apertei errado aqui
    jhahaha

    Se vc fosse pra lages naquela coisa bonita de ônibus que eu vou, JAMAIS teria histórias assim pra contar.

    =D

  7. Haha Tá bom, Larissa, Lages não está mesmo nos meus planos.

    Ana, depende do post. Neste, o desenho veio primeiro. Por um lado, a imagem é muito mais sugestiva que qualquer texto, e a partir dela é mais gostoso mergulhar e chegar em algo mais específico , mais limitado, como as palavras.
    Por outro, o espe´cifcio e limitado é mais difícil de memorizar. Por isso, às vezes escrevo antes pra não esquecer. O desenho, como vês aqui, é bem difícil de ser esquecido. Esta imagem eu vi em fevereiro. O texto em formato de crônica, com menos sentimento, foi mais fácil de ser escrito meses depois do episódio. Poema complica.

    abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s